quinta-feira, 31 de julho de 2008

terça-feira, 29 de julho de 2008

segunda-feira, 28 de julho de 2008

sábado, 26 de julho de 2008

A Amada Imortal

aAmigos Mareados,

Ontem, zapeando pelos canais abertos assisti a um belo filme na TV Cultural: "A Amada Imortal", sobre a vida, obra e principalmente o amor quase que platônico de Beethoven pela sua cunhada. Um filme de 1994, tendo como ator principal Gary Oldman no papel de Ludwig van Beethoven. A genialidade de um homem, que mesmo surdo consegue compor sua obra prima próximo de sua morte, quando estava desacreditado e quase esquecido. Morre em glória e ainda compondo. Personalidade difícil, rude mas que nutria uma paixão paterna pelo seu sobrinho, que vinha na verdade a ser seu filho (segundo o filme - não sei se é fato real) com sua cunhada em seus raros contatos (como diz ele no final do filme, viveu "uma comédia" odiando-a até próximo de seu morte). Um belo final sobre um dos gênios da humanidade. Segue abaixo, para os interessados, um link para baixar a nona sinfonia, em seu quarto movimento.

http://www.4shared.com/account/file/56620831/846a3bbb/beethoven-9_sinfonia_-_4_movimento.htmll

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Maré 24/07
























Sentimos falta de alguns Mareados ... Clemir, Ellen, André, Clarice ... e das pessoas que foram convidadas e deixaram de comparecer por compromissos já assumidos ... Elaine, Colete, Paulo Vargas ...
A Maré continua. O texto do Richard Sennet será discutido na próxima reunião, dia 06/08, quarta-feira.
Carne e Pedra. O corpo e a cidade na civilização ocidental. (capítulo 1 - Nudez)
Paulo Fraga enviou mais dois arquivos, contribuição da biologia para nossas discussões estéticas e humanistas. Richard Dawkins, O Gene Egoísta.
http://www.4shared.com/dir/8253603/25ebc879/sharing.html

terça-feira, 22 de julho de 2008

Reunião dia 24/07, quinta-feira

http://www.4shared.com/dir/8253603/25ebc879/sharing.html

- Richard, Sennett. Carne e Pedra. O corpo e a cidade na civilização ocidental. (capítulo 1)
- Bauman, Zygmunt. Modernidade Líquida. Tempo/espaço(capítulo3)
- ... além de sugestões da Clara e demais mareados.
Dia 24/07, quinta-feira, às 19 horas, no Horto Mercado, Vix.



domingo, 20 de julho de 2008

Cidade-mercadoria

Segue abaixo, artigo que enviei a A Gazeta e não foi (ou não quiseram) publicá-lo. Para discussão!

Cidade-mercadoria

Infeliz será a cidade que padeça de espaços públicos e democráticos e que se contente com espaços cerceados por muros, grades e câmeras de segurança dos condomínios fechados como o único meio de se viver em sociedade. Infeliz desta, a qual tenha sua urbanidade medida pela simples mais valia de seus espaços urbanos. Triste será constatar que o futuro desta cidade seja o de perder sua identidade para os imensos aglomerados urbanos amorfos, cascas de morar sem significado onde as pessoas de juntam não para a convivência, mas para se protegerem uma das outras.

É de entristecer a imagem da cidade apresentada pelos que a vêm construindo nestas últimas décadas e que foi estampada nas páginas de A Gazeta neste último dia 29 de junho. A “Manhattanização” da cidade de Vitória é uma imagem triste e ao mesmo tempo, aterradora de uma cidade sem alma, fria e individualista. Uma cidade egoísta, excludente e voltada para dentro de enclaves urbanos e sociais, que relegam os “outros” a sorte da violência e da barbárie das áreas “não-cercadas-protegidas”. Fazer parte da cidade não será mais fazer parte de um coletivo, mas de vários coletivos dentro de seus feudos-ilhas de pretensa segurança. Aos outros, resta então as sobras do que antes era conhecido como espaço público, áreas abertas agora extra-muros, periféricas mesmo dentro da cidade.

Louvável é o crescimento ordenado e planejado da cidade, atendendo os interesses públicos (sociedade e Estado) e privados (o mercado). Infelizmente, ainda há um descompasso entre os investimentos do capital privado sobre o público, com a cidade assumindo um viés quase que unitário, de um bem de consumo, mercadoria de troca e finito por constituição. Esgota-se um lugar ou cidade, desvaloriza-o por conta da perda de seu significado e partem para outros lugares, com novas infra-estruturas, novos ares e novo marketing, mesmo a quilômetros e quilômetros de distância dos centros urbanos, partindo para uma lógica não da expansão natural da cidade, mas para uma expansão agressiva medida pelo poder financeiro.

Espera-se que a menina Maria Vitória, da matéria citada acima, daqui a vinte anos possa ainda viver em uma cidade onde o andar por suas ruas, o conviver com outras pessoas seja um direito seu inalienável. Que ela possa morar em uma cidade da qual possa chamar de sua, com seus lugares e seus significados. Onde os espaços públicos ainda possam ser usufruídos na plenitude de seu significado de lugar democrático e do convívio comum.

Fabiano Dias é Arquiteto-Urbanista

fabiano@urbearquitetonica.com.br

a "arte do possível"

Interessante frase de H. W. Janson para reflexão, conceituando a arquitetura:

"...a arquitetura, como a política, é a "arte do possível" e que os seus êxitos são medidos pelo grau até onde o arquiteto explorou os limites ao seu alcance, quer nos planos estrutural e estético, quer nas circunstâncias locais." (JANSON, H. W.. História Geral da Arte. O mundo Antigo e a Idade Média. Ed. Martins Fontes, pág. 394. São Paulo, 2001).

Partindo desta relação, então, para os dias de hoje onde a política é mais a "arte da conveniência" - conveniência de interesses que impregna os políticos e partidos que se dizem "éticos" - em que ponto se encontra a arquitetura contemporânea - se é que é realmente possível fazer alguma relação com a política - dentro desta "conveniência"? A arquitetura de hoje é a possível ou está impregnada de "conveniências"? Ou será que sua "possibilidade" é o seu limitador? Ou ainda, quais são os reais limites da arquitetura? O arquiteto? Os condicionantes locais e naturais? As leis? A ética?....

Karl Lagerfeld

O estilista Karl Lagerfeld, diretor criativo da Chanel, assinou um acordo de colaboração com a Dubai Infinity Holding, para desenhar 80 residências de luxo na "Isla Moda", a primeira ilha no mundo completamente dedicada à moda, que será criada no arquipélago artificial "The World", em Dubai, nos Emirados Árabes. Lagerfeld, o primeiro designer a aceitar a proposta de desenhar casas de luxo na ilha, está convencido de que "Dubai está destinada a se tornar o próximo centro mundial da moda".
fonte: folha SP
Precisamos de mais imagens?!
http://www.theworld.ae/

sábado, 19 de julho de 2008

é plágio!!! rs













Mais uma vez
vem o mar
se dar
como imagem
Passagem
do árido à miragem

Sendo salgado
gelado
ou azul
Será só linguagem

Mais uma vez
vejo o mar
voltar
como imagem
Passagem
de átomo a paisagem

Estando emaranhado
verde azul
Será ondulado

Irado emaranhado
verde azul
Será ondulado

quarta-feira, 16 de julho de 2008

o mundo real




















Comprei ontem, sábado, na curiosidade de ler um artigo do Tarso Genro em meio ao "debate" sobre a revisão da lei de anistia.

segunda-feira, 14 de julho de 2008

DETALHE DE GÊNIO

11/07/2008

No meio do caminho havia uma pedra, ou melhor, uma cimalha. Mas como dizia Mies van der Rohe, "Deus está nos detalhes".

Ainda bem que o caixilho de vidro abre à francesa.  Crédito: Internet
Ainda bem que o caixilho de vidro abre à francesa.
Crédito: Internet

FONTE:
http://www.vivercidades.org.br/publique222/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=1378&sid=25

sábado, 12 de julho de 2008

"ARQUITECTURAS" na TVE

Parece que a TVE (TV Espanhola) voltou a transmitir o programa "Arquitecturas". Uma produção francesa e reproduzida na TVE, aborda em cada programa grandes nomes da arquitetura mundial (do passado e nos mais novos programas, alguns nomes contemporâneos) a partir de um exemplar construído de cada arquiteto. Na semana passada, foi a vez da Johnson Wax de Frank L. Wright, e neste último sábado, a casa pré-fabricada de Jean Prouve. O horário maluco é às 20:08 hs dos sábados, caso a TVE não venha mudar como fez há alguns meses atrás, deixando de reproduzir a série até este momento (os programas estão sendo reprisados atualmente). Bom, fiquem atentos então a partir da 20 hs dos sábados, canal 36 (NET) para as próximas "arquitecturas" e seus "arquitectos".

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Chrysler Building
























Aê, o tempo passa ...
Um dos símbolos de Nova York foi comprado pelo fundo Abu Dhabi, dos Emirados Árabes ...
fonte: Folha SP

mareados


A próxima reunião será no Horto Mercado, em Vix, dia 23/07, quarta-feira, às 19 hs. (a reunião seguinte será no ap. do Jovany, no Centro, antes que seja tarde ...)
Referências:
- Richard, Sennett. Carne e Pedra. O corpo e a cidade na civilização ocidental. (capítulo 1)
- Bauman, Zygmunt. Modernidade Líquida. (capítulo3)
Sugestões e novos mareados são bem-vindos!


quinta-feira, 10 de julho de 2008

arquitetura, poder e simulacro

mareados, destaco aqui em sevilha, toda quinta de julho, o ciclo de conferências e apresentação de películas 'poder e simulacro', dentro do projeto 'arquitetura: linguagens fílmicas'. além de ser num lugar surpreendente - claustro do antigo convento de santa maria dos reis -, os encontros se destacam por demonstrar as inter-relações entre arquitetura, cinema e outras disciplinas, sob um ponto de vista ético e político no nosso mundo contemporâneo. destaque para o documentário brasileiro "notícias de uma guerra particular"

tudo a ver com esfera pública e cultura imaterial. interessantíssimo. tá na maré:

http://www.juntadeandalucia.es/obraspublicasytransportes/www/servlet/descargacopt?up=19452

http://www.diariodesevilla.es/article/ocio/171203/arquitectura/poder/y/cine/santa/maria/los/reyes.html


Algumas coisas do século passado-2

Algumas coisas do século passado-1

quarta-feira, 9 de julho de 2008

SE

se
nem
for
terra
se
trans
for
mar
Paulo Leminski










Reunião hoje, às 19 hs, na cantina do Metrópolis, Ufes
imagem: Anlene Gomes

terça-feira, 8 de julho de 2008

a força da maré

água vai e água vem:
é o movimento que faz a maré!

Novo livro do Montaner

Novo livro do Montaner, lançadado pela Prolivros (www.prolivros.com.br). Pela (mini) resenha abaixo, parece ser interessante este ponto de vista sobre a arquitetura produzida no séc. XX e sua relação com o seu contexto.

"Sistemas Arquitectónicos" apresenta ao leitor uma nova visão da arquitetura contemporânea - desde o início do século XX até os dias atuais - que parte da crise do objeto isolado e dá ênfase especial às relações entre os edifícios e os valores do espaço público. Desta forma, o conceito de sistema reescreve a história da arquitetura recente em função de sua capacidade para desenvolver maneiras que melhor se adaptem ao contexto. No livro, o autor mostra também exemplos que se situam em uma escala entre a arquitetura, o urbanismo e a paisagem, de modo que a arquitetura configure a cidade e faz ainda uma análise das obras de alguns arquitetos que melhor representam este conceito através de suas posições e opiniões sobre o tema.




lançamento
SISTEMAS ARQUITECTÓNICOS CONTEMPORÁNEOS

Autor: Josep Maria Montaner
Editora: Gustavo Gili - Espanhol - 2008
Dimensões: 24x17cm - 224 págs.
Capa: Brochura
Ref.: 11619
R$ 138,00






Ângela e amigos "mareados",

Primeiro foi ótima esta iniciativa de se criar um blog para o grupo, pois assim, podemos postar e distribuir para todos as discussões de cada reunião e informações que possam ser pontos de partida, ou "portos" para novos debates das quartas noturnas.

Aproveito para lançar uma proposta que fiz anteriormente: havia uma questão inicial do nome do grupo, se seria Deriva Urbana ou Maré. Pensei então em juntar os dois e propor o nome do grupo de Maré Urbana, algo que venha trazer uma idéia de fluxos, sejam eles de pessoas, idéias, conversas, olhares, aperitivos e lugares. Pode ser Maré (Urbana) , Maré [Urbana], Maré [Urbana]...Cada um com seu sentido e interpretação. Bom, joguei a discussão na"Maré", só não pode ficar boiando ao sabor da maré!

Arq.to Fabiano Dias - urbe.arquitetônica













Reunião Grupo Maré*
Dia: 09/07, quarta-feira, 19:00 hs, cantina do Metropolis - Ufes
Seja bem-vindo e pegue o bonde andando, numa boa!
Os amigos e sugestões também são bem-vindos ...
Assuntos : ESFERA PÚBLICA, CULTURA IMATERIAL e outros assuntos que surgirem na hora.

Artigos e livros. Sugestões da Clara Miranda.

1. Museu Brasileiro da Escultura, utopia de um território contínuo (1). David Sperling
Texto com conceitos de esfera pública Hannah Arendt e Habermas
http://www.vitruvius.com.br/arquitextos/arq018/arq018_02.asp

2. Richard, Sennett. Carne e Pedra. O corpo e a cidade na civilização ocidental
Editora Record.

3. Richard, Sennett. O Declínio do homem público. As tiranias da intimidade
Companhia das Letras, 1988.

4. Jacobs, Jane. Morte e vida nas grandes cidades
Martins Fontes. (original, 1961)

5. Bauman, Zygmunt. Modernidade Líquida
Editora Zahar


6. Deleuze, Gilles. Dobra: Leibniz e o Barroco

*também no orkut

Maré no Galpão: a primeira reunião!

Participaram: Clara Miranda, Ellen Assad, Jovany Sales, André Morango e eu, Angela

Maré no Augustus 2

Maré no Augustus